Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de
Ensino de Presidente Prudente e Região

NOTÍCIAS DO DIA
Procurador quer ‘limite’ à liberdade de professores, grandes empresas de educação vão às compras, número de greves diminui com crise, e mais.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

TV Fepesp: em audiência na Câmara Federal, a denúncia: instituições privadas querem apenas explorar a educação sem compromisso com a qualidade. Veja (e compartilhe): https://youtu.be/-TtgClW0Xso.

 




Procurador ligado a Aras defende limite
à liberdade de professor em sala de aula

Folha de S. Paulo; 15/09
http://bit.ly/2lWsBL8

Uma das principais vozes conservadoras no Ministério Público Federal, o procurador Ailton Benedito, 49, deve compor a equipe do novo procurador-geral da República, Augusto Aras. Na última quinta (12), os dois tiveram uma conversa em Brasília, mas a forma como Benedito, atual chefe do MPF em Goiás, vai colaborar com a PGR será definida após a aprovação de Aras pelo Senado. Nas redes sociais, o procurador assume posições contundentes contra a esquerda e temas como a chamada ideologia de gênero. É um defensor radical do Escola Sem Partido e diz que professor, em sala de aula, não tem direito à liberdade de expressão.

 


Em escolas bilíngues, português é quase acessório
Estadão; 15/09
http://bit.ly/2lWlQJi

O inglês é a língua dos negócios e da ciência, da cultura e da tecnologia. Ser fluente no idioma não é mais visto como diferencial, mas como pré-requisito para se viver bem em um mundo globalizado. Com o desejo de que os filhos aprendam inglês de fato, mas com menos disponibilidade de levar a cursos extras, os pais buscam soluções dentro da escola regular. Muitos optam por colégio internacionais e bilíngues, instituições que já nasceram com a missão de formar os alunos no idioma estrangeiro. Outros aderem a programas especiais de idioma em escolas brasileiras, que têm percebido a demanda e passaram a fazer convênios com cursos de inglês, ou criar programas próprios.

 

Quando passar o dia na escola é rotina
Estadão; 15/09
http://bit.ly/2lQDz56

De colégios particulares grandes e pequenos, novos ou tradicionais, gestores educacionais relatam uma procura crescente pelo período integral. Com os pais trabalhando por muitas horas seguidas e um trânsito em São Paulo que dificulta os deslocamentos, as escolas acabam sendo um lugar seguro para que crianças e adolescentes passem o dia. Sem sair de seus portões, os mais novos aprendem idiomas, praticam esportes e fazem atividades artísticas. Pode ser uma solução, mas é preciso ter cuidado.


Após decisão judicial, Doria diz que devolverá
apostilas com encarte explicativo

Folha de S. Paulo; 13/09
http://bit.ly/2lYlDoX

Três dias após decisão judicial obrigar o Governo de São Paulo a devolver aos alunos da rede estadual apostilas confiscadas na semana passada, o governador João Doria (PSDB) afirmou que não irá recorrer e que restituirá o material com um encarte explicativo. As apostilas, destinadas a estudantes do oitavo ano do ensino fundamental, foram recolhidas às pressas sob a justificativa de que faziam “apologia à ideologia de gênero”, conforme o tucano publicou em rede social.

 

Editorial: máfia das creches
Jornal Agora; 14/09
http://bit.ly/2lTzmNV

Para atender cerca de 340 mil crianças de zero a três anos em creches públicas, a Prefeitura de São Paulo faz parcerias com organizações sociais. São as chamadas creches conveniadas, responsáveis por 280 mil vagas desse total. Uma investigação da polícia indica que quatro dessas organizações desviavam dinheiro público de cerca de 20 creches na zona leste da capital. Há relatos até de desvio da comida das crianças. Os alimentos seriam colocados em sacos pretos e levados em um carro.

 

Igreja expulsa nove padres em disputa por colégios de SP
Folha de S. Paulo; 14/09
http://bit.ly/2mjU75G

“Uma só alma, um só coração” é um dos lemas dos agostinianos, grupo religioso seguidor dos preceitos de santo Agostinho. O mote, porém, não reflete o cisma entre os agostinianos no Brasil que resultou na suspensão do direito de nove padres de exercerem o cargo. Na prática, eles não podem mais celebrar missas ou dar bênçãos. Para os agostinianos, esses religiosos devem ser chamados de ex-padres. Entre os expulsos está o espanhol César Rafael Rodríguez Martinez, de 92 anos, 66 deles vividos como padre. No centro da expulsão está a disputa pelo controle de três colégios tradicionais, dois deles em São Paulo, o Agostiniano Mendel, no Tatuapé, e Agostiniano São José, no Belém, ambos na zona leste. Há ainda o Nossa Senhora de Fátima, em Goiânia.

 

 


Kroton, Ânima, Ser ou Yduqs:
quem gastou mais com universidades?

Money Times; 13/09
http://bit.ly/2kCsuEy

O BTG Pactual realizou levantamento do setor educacional após a compra da Unitoledo pela Yduqs (YDUQ3), ex-Estácio, listando os movimentos de fusão e aquisição no setor desde 2017. A empresa que mais gastou com compras de universidades foi a Ânima Educação (ANIM3), ao adquirir quatro centros por R$ 238,9 milhões. Em seguida, aparece a Ser Educacional (SEER3) com a compra da UniNorte no Amazonas. A operação custou R$ 200 milhões aos cofres da companhia. O terceiro lugar é ocupado pela Kroton (KROT3), que gastou R$ 102,7 milhões desde 2017 com fusões e aquisições.

 


Uniesp: médica é presa em Rio Preto na Operação Vagatomia
Jornal de Jales; 15/09
http://bit.ly/2khsWaU

A médica A.S.S.S., de 43 anos, foi presa sexta-feira, dia 13 de setembro, em um condomínio residencial em São José do Rio Preto, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça Federal de Jales. Segundo o Serviço de Comunicação da PF de Jales, a médica é casada com o médico riopretense, F.R.S. de 45 anos, que também está preso preventivamente no CDP 3 de Pinheiros em São Paulo. Eles são donos de empresas investigadas que oferecem cursos de complementação a alunos de medicina formados no exterior, que desejam aprovação no exame REVALIDA para atuarem como médicos no Brasil.


Uniesp: Cremesp exige providências contra a Universidade Brasil
Região Noroeste; 14/09
http://bit.ly/2koEmKc

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), apresentou novos documentos sobre a Universidade Brasil, e exigiu providências da Justiça quanto ao caso de fraudes no Fies, Prouni e Revalida, todos envolvendo o curso de medicina da faculdade, que fica em Fernandópolis. O caso foi revelado durante a Operação Vagatomia, que prendeu 23 pessoas desde o dia 3 de setembro, incluindo o dono e ex-reitor, José Fernando Pinto da Costa. Segundo o texto publicado no site do Cremesp, o Conselho reuniu diversos indícios de irregularidades envolvendo a Universidade Brasil.

 

 


CHARGE DE SÁBADO!

por Maringoni (*)

Confira esta e outras charges em nosso site: http://bit.ly/2HvT9vP

(*) Gilberto Maringoni, nosso inspirado colaborador e chargista, doutor em História e correspondente internacional, está Caracas, na Venezuela, produzindo reportagem especial para o Diário do Centro do Mundo. Leia seus relatos aqui http://bit.ly/2kkQpIs, aqui http://bit.ly/2kwE0kN, e aqui http://bit.ly/2m9Dg5l.

 

 



Crise e sindicato mais pobre derrubam número de greves
Valor Econômico; 16/09
https://glo.bo/2kDwoNt

O número de greves realizadas no país recuou 41% nos primeiros seis meses deste ano em relação a igual período de 2018, segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Foram 529 paralisações de janeiro a junho, contra 899 no mesmo intervalo do ano passado. A queda foi puxada pelo setor público, com recuo de 51%, mas também houve baixa relevante na esfera privada, de 27%.

 

ABC: Programa Análise & Crítica, segunda edição
SinproABC; 13/09
http://bit.ly/2lYnhH9

Programa da Secretaria de Formação do Sindicato dos Professores do ABC, com o Diretor Marcelo Buzetto, discute: o Brasil viveu uma ditadura entre 1964 e 1985?

 

Artigo: Pedro Cafardo, do Valor Econômico |
A virtude da tolerância e os riscos da omissão

Fepesp; 13/09
http://bit.ly/2kMv4I0

“Quando se faz uma política econômica exclusivamente voltada ao aperto fiscal, deixando para considerar mais tarde o impacto que essa política terá sobre a vida das pessoas que estão sem emprego, passam dificuldades e veem avançar a desagregação de suas famílias, as cabeças pensantes deveriam reagir. Se não reagem, estamos falando de omissão.”

 

 



Uma sociedade autoritária
Revista GIZ; 09/09
http://bit.ly/2kjzLc2

Em entrevista, a historiadora e antropóloga Lilia Moritz Schawrcz revela como a sociedade está marcada por manifestações de violência e intolerância. “Precisamos entender essa ascensão autoritária brasileira como uma queda, uma redução da noção de Res Pública, de coisa pública. É ainda uma resposta ao assombro que vivemos em 2018. Como explicar que o que está subindo ao poder, por mais truculento que possa parecer, foi escolhido por nós? Foi feita nossa vontade. É como se nos últimos meses, o Brasil tivesse aberto uma porta perigosa, que revela sentimentos e pensamentos muito contrários à Democracia. Se, no passado próximo, havia certo constrangimento em defender ideias assim, hoje, ao contrário, valores autoritários, ligados àquela herança que tentamos negar, estão autorizados a circular por aí. E o governo atual não só autoriza, como incentiva tal prática”, conta a especialista.